domingo, 31 de julho de 2011

Notas soltas de um jantar de festa

Há sempre alguém que chega tarde com a clara intenção de se fazer notar.

Há sempre alguém a quebrar o dress code, seja por defeito ou por excesso. E não vale a pena dizer o contrário porque isso nota-se sempre mais em quem o faz intencionalmente do que por negligência.

Há sempre uma alminha, que em jeito de expiação dos seus pecados, só tem lugar junto de pessoas que mal conhece e passa um belo serão a pensar como seria mais agradável estar em casa com um prato de sopa e uma côdea de pão.

Há sempre uma finória que desce dos saltos.

Há sempre alguém na ponta da mesa a dizer mal de outro alguém sentado na outra ponta da mesma mesa. Inevitavelmente os seus olhares cruzam-se, sai faísca, mas quase ninguém nota.

Há sempre um par de mamas que queria ir sozinho à festa mas o resto do corpo não autorizou.

Há sempre alguém que não vai e nem sonha com o que perde e há sempre alguém que vai e ficam todos a perder.

Há sempre alguém que perde qualquer uma ou várias das seguintes coisas: pudor, inibição, timidez, acanhamento, noção do ridículo…

Há sempre alguém que não almoça para poder jantar e há sempre alguém que janta como se não tivesse almoçado há vários dias.

Há sempre alguém atento.

6 comentários:

AVOGI disse...

e tu eras o alguém atento, claro.
bom domingo
kis :=)

Menos disse...

Atentos havia mais, de pena aguçada é que já não sei.. Bjs, Avogi

Mary Jane disse...

Estou como a avogi ;) A tua pena foi deveras aguçada, gostei muito!

Menos disse...

Obrigada e volte sempre! Bjs ;)

Indecisa disse...

amei este post!
:)

bjinho *

Menos disse...

Obrigada! Tenho mto gosto que andes por cá ;)