sábado, 24 de dezembro de 2011

Episódios do meu Natal #4


Estas são as rabanadas versão Natal 2011. Como se vê alimentamo-nos mal e temos muitos amargos de boca.
Feliz Natal!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

À descoberta de sabores antigos...






...que se tornam novos a cada dia que passa.

Depois de os provar no local de venda não resisti a trazer uma pequena amostra para casa. Este chá das onze da noite está a saber-me pela vidinha! 

...

Pode até ser o maior cliché de todos os tempos, pode soar a conversa de velhos, pode não interessar a ninguém, mas o primeiro presente de Natal chegou-me hoje às mãos sob a forma de relatório médico. À medida que vamos somando algarismos à nossa idade a saúde deixa de ser um acessório.
Agora já me apetece pensar na mesa bonita e farta que quero ter no Natal, na ementa que eu própria pretendo cozinhar e em todos os doces que perfumam a minha casa com os aromas do Natal. É com outro ânimo que vou colando etiquetas numa ou outra lembrança e este choque térmico, inadequado para quem chegou à dias de África, já não me enerva nada. 

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Episódios do meu Natal #3


Uma tarde inteira com os primos e a missão de recuperar todos os filmes de animação que eu não vi mas que eles, mesmo à milésima vez, conseguem achar um piadão inexplicável.
Hoje divertimo-nos assim entre gomas, bolachas e um maravilhoso cobertor de lã. Para amanhã não temos planos e nem precisamos. Estamos de férias e estamos juntos. Não há nada melhor que isso.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Episódios do meu Natal #2


Amanhecer para as férias já do lado de cá, ou seja do lado oposto à escola. Sabádo ainda foi dia de trabalho e Domingo não conta porque é fim-de-semana.
Não vale de nada o tempo que perdem nem as energias que gastam todos quantos dizem que professores têm uma rica vida. Já estou no meu porto de abrigo e por mim pode começar o Natal.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

...

Vem tudo desaguar à escola.

Esta é a frase que mais tenho dito nos últimos dias. E quando digo tudo é mesmo tudo.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

...


Ainda aí uma moda estranha mas com muito bom aspecto. Deem-me tempo porque receita eu já a tenho!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Uma imagem que vale pelo fim-de-semana inteiro


Anarquia ontem. É bem capaz de ser o conceito que melhor define o almoço de ontem.
Anarquia hoje. Basta dar uma vista de olhos à minha mesa de trabalho. Folhas, canetas, grelhas, livros e um pacote de bolachas vazio.

Um domingo intenso a preparar uma semana de trabalho [a última] onde eu espero conseguir manter a anaquia a uma distância de segurança.


sábado, 10 de dezembro de 2011

Episódios do meu Natal #1

O primeiro episódio do meu Natal deste ano é igualzinho ao do ano anterior. Somos muito dados a um conceito antigo ao qual vulgarmente chamam tradição, por isso decidimos repetir o evento pela terceira vez consecutiva.
Quanto ao resto fujam que eles andem aí!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Feriado não, feriadão!


Dezembro é o mês em que as temperaturas descem, os dias tornam-se mais pequenos e muitas vezes são cinzentos e tristonhos. Os programas são caseiros e não dispensam um chá, um chocolate quente e a manta polar que durante este mês frio faz parte da decoração permanente da sala. É tudo verdade ou então não...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Coisas que luzem

Já acederam as gambiarras na minha rua! Ainda numa versão teste, digo eu, já que a inauguração oficial será no próximo feriado.
A propósito escusam de rogar pragas ou qualquer outro tipo de inutilidades. Nunca se viu por estas bandas nenhum ser encandeado com os luzeiros natalinos.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Joy to my world!


Diz-me, Senhor, que isto não é uma montagem e que existe mesmo num supermercado perto de mim! Vá lá! Para compensar o estrago eu prometo que começo a beber muita águinha, que em Janeiro passo a frequentar o ginásio três vezes por semana e o creme da celulite nunca mais vai ficar esquecido no armário.

Uma convivência difícil

Já me passou pela cabeça explicar aos meus vizinhos que se vive de dia e se descansa à noite, mas pareceu-me exagerado impor aos outros os meus horários. Agora ando aqui a moer a cabeça à procura de uma forma subtil e eficaz de demonstrar que eles podem viver à hora que quiserem desde que os ecos da sua vidinha não se façam sentir em minha casa. Não está a ser fácil.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Ossos

Além de me abrir o apetite a reportagem da TVI fez-me lembrar do dia em que tentei explicar aos meus colegas de escola que um dos melhores petiscos lá da minha terra são... ossos.
Lindo.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Eu não acredito em milagres, mas que eles existem, existem!

Passei os últimos dias embrenhada na minha própria vida. Lamentei-me porque cheguei de viagem e só tive tempo de deixar a mala a um canto, dormir umas horas, para começar a trabalhar cedo e acabar tarde. Lamentei-me porque tenho andado em avaliações e foi a elas que, muito contrariada, dediquei uma boa parte do feriado de ontem.
Hoje cheguei a casa às oito da noite, muito depois do toque de saída que soou às seis e um quarto, lamentei-me da vida que levo, sentei-me no sofá, assisti à notícia do salvamento dos pescadores de Caxinas e lamentei ter-me lamentado tanto estes dias.
Não imagino a minha vida numa balsa salva-vidas perdida em mar alto a depender de um salvamento que deveu tudo à sorte e ao destino.

Foto: JN

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011