domingo, 20 de maio de 2012

Um, dois, três dias em resumo

Pois que a canalha já está despachada para estágio. Foram os mais velhos finalistas, ao todo cerca de 300, dessa fatia ficam 24 almas sob minha responsabilidade directa. O que eu engoli em seco na sexta-feira quando soube pela boca e gestos atabalhoados dos próprios que vamos ter vários encontros marcados nos próximos dois meses. Ainda estou sem perceber em que buraco se enfiou o director de turma deles para se ter escapado disto. É que eu ainda fico com os meus mais novos em aulas. Escusado será dizer que a partir daí mais nada correu bem nesse dia, excepção feita aos dez minutos que tive direito para lanchar uma queijada.

No sábado almocei e jantei fora, fugi dos livros e das tralhas da escola o mais que pude, mas não consegui evitar o aspirador nem o pano do pó. Desde o final da tarde e pela noite fora houve mojitos e muitas línguas de trapo. Segunda-feira irá saber-se o que vem a seguir.

Hoje é domingo. Nem o sol espreitou à janela, nem eu saí de casa. Prepara-se a ritmo lento uma semana que eu também espero me chegue lentamente aos braços.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

As férias de verão dos professores...

...são bem mais prolongadas do que as dos demais trabalhadores porque a canalha transpira e cheira mal que tolhe. 
A todos os que enchem a boca para criticar a classe eu gostava de os fechar 45 minutos numa sala de aulas com uma das minhas turmas mais perfumadas. Como sou simpática escolhia uma das salas em que a única janela existente tem um papel onde se lê em letras garrafais: em manutenção - não abrir.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Terei (mesmo) mau gosto musical?

Não entendo a febre à volta da música de ir ver os aviões misturada com o porto de Leixões mais a promessa de levar alguém à América [só me ocorre um trocadilho escatologicamente básico]. Já ouvi a canção inteirinha e não. Nada mesmo. Zero empatia.

domingo, 13 de maio de 2012

Notícias boas, notícias más

A boa é que sobrevivi à semana anterior, já descansei, recuperei e quase me esqueci quão difícil foi.  A má é que já amanhã começa um novo ciclo igual, senão pior, ao que terminou. Felizmente será a última e não deixará saudades.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Em Maio, onde quer eu caio

Hoje, por exemplo, caí de cansaço no sofá às oito da noite depois de ter engolido uma tigela de sopa. Acordei  às nove e meia e achei por bem acabar de jantar. Vidas complexas...