segunda-feira, 31 de outubro de 2011

domingo, 30 de outubro de 2011

Vamos lá a saber!

Quem é que vai fazer ponte amanhã?
Quem é que se atreve?
Quem não faz porque não pode e quem não faz porque não quer?

A pain in the neck

Yes, the annoying thing is the pain in my neck...

Ali a um canto estão uns trabalhos para avaliar, a roupa para passar a ferro e as compras da semana para fazer...

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Ena tantas!


A mim basta-me ser fim-de-semana, ter mais uma hora para dormir e ser feriado na terça.

Modas #2

alavancar
v. tr.
puxar com a ajuda de alavanca
fazer avançar ou promover o desenvolvimento de
 
Adoro estas palavras-moda. Hoje em dia tudo pode ser alavancado. A começar pela economia, passando pela qualidade ou pela produtividade. Podemos alavancar eventos e até a própria carreira profissional poderá ser alvo de uma alavancagem.
E com isto vou alavancar do sofá e tratar de dar um alavanco à minha vida, sim que o fim-de-semana só começa depois das sete da tarde...

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Sinais dos tempos #3

Eu cá não sei se o movimento lancheira veio para ficar ou se a coisa irá dar-se apenas enquanto palavras como "troika", "recessão"e "crise" andarem feitas vírgulas a pontuar o discurso do povo. O que eu sei, porque vejo todos os dias, é que é cada vez maior a trupe de lanchoneiros da minha escola. O que antes era foleiro, agora é banal. Por isso, no intervalo das dez, é ver na mesa grande da sala de professores uma parada de lancheiras recheadas de iogurtes, de fruta ou do molete aviado de véspera e embrulhado em papel de alumínio.
Uns escusam-se com a crise, outros com as dietas. Já há menos bolos na vitrina do bar. Ninguém lhes pega e o dinheiro que antes se gastava em refeições fora de casa é agora gasto em livros de culinária e tupperwares.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

E tudo o vento levou

Tudo. Mesmo tudo. A grandeza de um povo e todos os seus epítetos foram pelos ares e o pouco que sobrou permanece a céu aberto à mercê de mais vento, muita chuva e sabe-se lá mais o quê. Estou, claro, a referir-me ao que aconteceu no Algarve e à forma atabalhoada como [não] se tenta minorar os estragos. Sala de espera para os passageiros? A rua. Água? Casas de banho? Só depois de muitos e insistentes pedidos. Tendas ou qualquer outro tipo de protecção das condições atmosféricas? Uma tenda - se chover muito...
Praias bonitas e boa comida há em muitos outros países, mas extras destes carregadinhos de adrenalina só aqui no portugalinho à beira mar plantado. Tão amorosos e tão pequeninos...

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Então foi assim...

Frio. Muito frio. Acho que nunca tinha visto um Outono chegar à bruta. Pronto, já não morro estúpida.
Calor. Muito calor humano. Parecia Natal nestes últimos dias. Uma farturinha!
Por falar em abundância, que a gente a norte convive bem em qualquer lugar, mas à mesa é diferente. E se houver bolo de limão, tartes variadas, bolinhos e biscoitos até fartar, então sim, é completamente diferente!
Palavrões. Pffff.... Muitos e variados, mas sem grosserias nem obscenidades. Palavrões são, como toda a gente sabe, palavras extensas.
Primos e as suas respectivas agendas sociais. Vai que um canta e o outro desfila. Os pirralhos, implacáveis, mobilizaram a família. E ai de quem os desnegasse.
Malas. Foram quase vazias e vieram cheias de tudo inclusive da certeza de que vai passar rápido e não tarda nada vai haver mais frio, calor, abundância, palavrões, primos e mais o que vier...

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Dói dói... trim trim


O amigo brufen raramente sai do top das palavras-chave deste estaminé. Deus saberá porquê. Eu sei muito bem o que custam dias como o de hoje e também sei que a normalidade só voltará depois de uma combinação bem equilibrada de sono e...


domingo, 16 de outubro de 2011

Fast Meals

De pizza se fez o lanche ajantarado deste fim-de-semana em que não houve muita paciência [e hoje em especial além da paciência não havia nem vontade, nem força] para andar de volta dos tachos. A minha base é de compra já a receita, entre muitas outras virtudes, tem a vantagem de não precisar do tradicional molho de tomate. Este é o original, na foto está a minha fotocópia [ligeiramente adulterada] retirada de um blogue recém descoberto mas muito apreciado pela ligação entre a culinária e o quotidiano. Nas cenas dos próximos capítulos vou dedicar-me ao tofu que deixei debaixo de olho...

sábado, 15 de outubro de 2011

No forno

 A austeridade que está na ordem do dia faz-me ter saudades de outros tempos livres destes apertos orçamentais. No forno está um bacalhau rosado e no coração estão muitas saudades destas refeições em família. Acho que a memória não me atraiçoou e se fechar os olhos ainda revejo a velhinha Teleculinária com receita e fotografia deste prato. Pelo cheiro vai de certeza servir para aconchegar o estômago e descansar o corpo de uma semana muito muito dura.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Quem tem para troca?


Basicamente era isto que me apetecia todos estes dias de calor intenso, mas hoje, especialmente hoje eu trocava uma manhã de aulas, um almoço apressado em local e ementa a definir, mais dois blocos de aulas à tarde, uma corrida até outra escola com direito a turma CEF e, qual cereja no topo do bolo, mais uma corrida até à escola para um serão de reuniões - tudo isto por um dia naquela praia.

domingo, 9 de outubro de 2011

Excomungados, todos!

Uns minutos após ter visto a reportagem sobre a moda lisboa e ainda não consegui levantar o queixo nem desarregalar os olhos!

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

1,2,3... diga lá outra vez! #2

"A senhora dona fulana é que trata disso, mas ela está de férias. É melhor esperar que ela volte."

E foi assim que responderam ao meu pedido para enviar a um departamento específico umas quantas fichas de trabalho, mais precisamente aquelas às quais dediquei a tarde de ontem, para fotocopiar. Pois foi tal o meu espanto que eu nem sei bem quantas vezes abri e fechei a boca sem conseguir articular uma só palavra à altura do comentário. Depois, ainda imbuida do espírito de professora calma e paciente que normalmente levo na mala quando vou para as minhas turmas *#%"!$=€, lá consegui explicar que em colocando os originais num envelope era só esperar pelas treze da tarde de amanhã e, como por magia, iria chegar o responsável pelas fotocópias daquele curso.
Perante isto eu podia ser uma grande mal-intencionada e atribuir este triste episódio à falta de profissionalismo, à má vontade ou ao facto de não se dever importunar as pessoas quando já só faltam vinte minutos para despegar, mas a culpa, essa bezerra que nunca morre sozinha, é do calor e desta humidade pegajosa que tolhe movimentos tão simples como estender um braço e anuir silenciosamente com os cornos. 
Loubadinho seja deus...

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Dia do professor


Devidamente celebrado com uma tarde de trabalho para a minha turma CEF.
Aguenta que tu podes...

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

De maneiras que é assim

Hoje, sim já hoje, voltamos a ser as melhores amigas. Gostava de poder dizer que tive muitas saudades e que senti muito a vossa falta, mas não... Muito pelo contrário, assumi corajosamente estes dois meses de férias, fui até fria e calculista ao ponto de conservar a caixa onde vieram [sempre soube que lhe ia dar uso] para que todos ficássemos confortáveis - vocês em repouso e eu em diversas incursões gastronómicas. Desde bolos caseiros a gelados sem esquecer a bela da sandocha de presunto e queijo fartei-me de pecar e, apesar de não haver sinais de arrependimento, mais vale prevenir até porque como diz a minha amiga M. "se não há ginásio, também não há pãozinho com manteiga!"

domingo, 2 de outubro de 2011

sábado, 1 de outubro de 2011